Quando é o momento da aposentadoria para o pro-player?

Essa semana foi divulgado a notícia que o capitão do Vision Srtiker´s Kim Glow Min-so, o jogador Coreano de 33 anos, se aposentou do cenário dos eSports após 13 anos como jogador profissional.

Kim Glow teve uma longa carreira no Counter-Strike defendendo equipes como a Lunatic-hai e WeMade Fox, vencendo torneios como Asia Summit, ZOTAC Cup Master Asia e Extremesland zowie Asia em 2018. Após, mudou para o Valorant onde obteve uma sequencia de 100 vitórias seguidas, um recorde com 102 vitórias em 107 jogos, ainda venceu o VCT 2021 Korea Stage 1 Master.

Glow justificou a aposentadoria em depoimento no Youtube dizendo que: “Meu tempo como Jogador estava chegando ao fim e eu mesmo sentia isso principalmente em relação aos Challengers Um e aos Challengers Dois onde acabamos chocando muita gente com a nossa derrota e onde senti que meu teto como jogador estava em seu limite.”[1]

Por esse motivo perguntamos: Quando é o momento para um pro-player se aposentar? Existe um momento específico? Existe uma faixa etária? Ainda, o que fazer após a aposentadoria?

Pensando nas perguntas acima, entendemos necessária a análise de outros exemplos para um comparativo. No cenário Brasileiro, tivemos algumas aposentadorias relevantes nos últimos tempos como a de Leo “ziG”, jogador de Rainbow Six, encerrou a sua carreira aos 30 anos, sob justificativa de estava tendo dificuldade de relacionar a profissão com  a família[2], optando assim em atuar apenas como streamer. Ainda, com a justificativa de estar cansado da rotina extenuante dos treinos, Murilo “Takeshi”, ex-integrante do Team oNe de League of Legents se aposentou aos 27 anos, mas em entrevista afirmou que não irá se afastar do cenário[3].

Os casos trazidos demonstram que não há um padrão para a justificativa da aposentadoria, tratando-se, na maioria dos casos, de uma decisão pessoal do jogador. Contudo, é lógico que pode acontecer situações contrárias, em que o pro-player se vê “obrigado” a se aposentar, tais como baixa performance, desinteresse de patrocinadores  e times, entre outros. Seja por motivos pessoais ou não,  fato é que, como todo jogador, em algum momento em comparativo ao jogador de futebol, chega a hora de abandonar a chuteira, no nosso caso, o mobile, PC ou console.

Contudo, como demais jogadores de outras modalidades, a aposentadoria do pro-player ocorre numa idade muito prematura, diferente de um trabalhador comum, logo é importante que não apenas os jogadores, como também os times, treinadores e pessoas relacionadas, pensem sobre como será depois do jogo, pois a carreira é curta, mas a vida é longa e o amanhã está batendo na porta de todos nós.

Portanto, é necessário analisar as possibilidades, buscar conhecimento, estudar e se dedicar não somente ao jogo, mas também ao futuro.  Vejamos, se a intenção é continuar no cenário, mas como comentarista, treinar, streamer ou outro, é muito importante construir a sua marca pessoal, definir não apenas como profissional, mas como pessoa, garantido a continuidade dos fãs, não pelo time que atuava, mas sim pela sua personalidade, pelo trabalho que desenvolve dentro e fora do jogo. Em contrapartida, caso opte em sair do cenário, sem dúvida alguma, adquirir capacitação é essencial para inclusão no mercado de trabalho.

Você já pensou no seu futuro? Aproveite a oportunidade e reflita.


[1] https://www.youtube.com/watch?time_continue=16&v=_1mKFdOjH0k&feature=emb_logo acesso em 18.05.2021 às 15:43

[2] https://www.teamliquid.com/news/2019/05/06/o-novo-captulo-de-zig-aposentadoria-e-casamento  acesso em 19.05.2021 às 09:15

[3] https://www.espn.com.br/esports/artigo/_/id/7064446/rematch-o-que-acontece-quando-um-jogador-de-esports-se-aposenta-com-takeshi  acesso em 19.05.2021 às 09:36

Deixe uma resposta