JOGOS DE VIDEOGAME DEVEM SER CONSIDERADOS COMO BEM CULTURAL ESSENCIAL?

Foi esse o entendimento que a França teve ao autorizar a abertura das lojas de videogame durante o período de lockdown[1].

É notória a preocupação da França com o fomento cultural, o que fica claro ao observarmos a expressiva quantidade de museus, de construções históricas e de atividades culturais diversas. Tudo isso faz com que o país seja um dos principais destinos culturais do mundo; e, agora, o Videogame veio para engrossar essa listagem de atrativos.

Para aqueles que não sabem, a França é sede de uma das maiores empresas de videogame: a Ubisoft Entertainment SA. A companhia foi fundada em 1986 e tem a sua sede em Montreui. Suas ações são bem cotadas na bolsa de valores[2] e, somente no Brasil, a empresa possui milhões de seguidores 255,4 no Twitter e 1.2 no Instagram.

Ainda, de acordo com Nicolas Vignolles, Diretor Executivo do Sindicato dos Editores de Software de Lazer[3], a França bateu recorde nos gastos com produtos de videogames, “cerca de 5.3 bilhões de euros no último ano, em contrapartida, o público francês gastou cerca de 4 bilhões de euros com livros.”[4]

Diante desse cenário, veio a decisão do país de publicar decreto governamental autorizando a abertura, durante o período de lockdown, das lojas especializadas em: “venda e conserto de computadores, unidades periféricas e software”. Tão logo publicada a norma, iniciaram-se diversos debates em que o tema principal era  se as lojas de video games poderiam ou não abrir durante o período.

Para o Diretor da FNAC, a abertura era a medida correta a ser adotada; e, na mesma linha de pensamento, o Youtuber Jacques Creysse, com 46.3 milhões de seguidores no Twitter[5], afirmou que “Sim, videogames são um bem cultural, assim como os livros e discos.”

Essa movimentação fez com que o Primeiro-ministro, Jean Castex, anunciasse que “as lojas de livros e discos seriam classificadas como essenciais, bem como a indústria de videogame”.[6]

Tal situação apenas confirma a importância do mercado de videogames para a população francesa; e, para sermos sinceros, já que vai ter lockdown que pelo menos que seja com games!


[1] https://valor.globo.com/mundo/noticia/2021/03/19/com-sistema-hospitalar-no-limite-franca-entra-em-novo-lockdown.ghtml acesso em 24.03.2021 às 08:15

[2] https://br.investing.com/equities/ubisoft-entertainment-inc acesso em 24.03.2021 às 09:22

[3] https://www.linkedin.com/in/nicolasvignolles/?originalSubdomain=fr

[4] https://www.iol.co.za/technology/gaming/are-video-games-essential-culture-french-lockdown-sparks-debate-2f4bcd02-7ad7-4277-a7c0-e1ed8c746874 acesso em 24.03.2021 às 10:48

[5] https://twitter.com/julienchieze

[6] https://www.france24.com/en/live-news/20210323-are-video-games-essential-culture-french-lockdown-stirs-debate acesso em 24.03.2021  às 09:02

Deixe uma resposta